Operadoras já bloqueiam celulares em áreas de presídios em SP
19/05/2006


O bloqueio dos celulares nas áreas de presídios no Estado de São Paulo já teve início nesta sexta-feira, segundo informações de fontes do setor. As operadoras não se manifestam sobre o assunto, e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que ainda aguarda relatórios dos técnicos que estão acompanhando o bloqueio.
Nas seis cidades em que está sendo implementado o bloqueio do celular, segundo determinação judicial, pelo menos 9 presídios serão afetados, de acordo com as fontes. Em São Vicente, litoral paulista, serão três presídios; em Franco da Rocha, 2; e em cada uma das demais cidades —Araraquara, Avaré, Iaras e Presidente Venceslau— será um.

Ainda não está claro qual cidade será mais afetada. Uma das fontes apontou São Vicente, porque, além de ter número expressivo de usuários de celular, recebe muitos turistas que utilizam o serviço de "roaming".

"Não vai ser a cidade inteira, mas boa parte da cidade vai ficar sem cobertura", afirmou a fonte. Ela também disse que, numa avaliação preliminar, cerca de 400 mil clientes das três operadoras do Estado de São Paulo —Vivo, TIM e Claro— serão afetadas pelo bloqueio nas seis cidades.

Outra fonte assegurou que, em nenhuma cidade, mais de 50 por cento da população será afetada.

A medida judicial de bloqueio de celulares foi adotada em decorrência da onda de violência no Estado que teve início há uma semana.

As autoridades de segurança afirmam que o celular é "pior que arma" porque garante a comunicação de lideranças da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) com criminosos que teriam perpetrado ataques a alvos policiais e civis. Em seis dias, 152 pessoas morreram, sendo 107 suspeitos de crimes.